Princípios do Treinamento-INDIVIDUALIDADE BIOLÓGICA

Princípios do Treinamento – INDIVIDUALIDADE BIOLÓGICA

O que é individualidade biológica? Por que isso pode estar atrapalhando sua busca por resultados consistentes?

Uma coisa que me deixa de cabelo em pé:

“Professor, hoje vou malhar tá?!”

Malhar? Tá de brincadeira?

Gostamos do termo correto, e fazemos jus para isso.

“Professor, em qual ciclo de treinamento estou?”

Bem mais bonito.

Tá certo, você vai me dizer que estou sendo chato demais, que todo mundo fala assim e tudo mais…se tem uma coisa que não me esqueço nos dizeres da minha mãe é:

“VOCÊ NÃO É TODO MUNDO!”

invictus_individualidade
Ouça sua mãe!

É isso aí. Vamos falar de TREINAMENTO.

Existem princípios que regem o treinamento físico. E vamos ao longo dos próximos dias pontuando e explicando um a um. Acho isso importante por dois motivos:

  1. Há de se melhorar o que se vende, quando falamos em mercado de academias.
  2. Há de se conscientizar o profissional do exercício para que prescreva treinos com critérios

Ao final da série, aulas onde o objetivo máximo é “apenas cansar” serão colocadas na parede. E também, será possível entender todo o processo do seu sucesso como algo lógico, com variáveis mensuráveis e progressivas. Sem achismos.

 

PRINCÍPIO DO TREINAMENTO – INDIVIDUALIDADE BIOLÓGICA

Esse termo é o primeiro ponto que deve ser explicado, e resulta em atender a cada pessoa em suas necessidades e objetivos.

Em suma, esse princípio define que cada indivíduo possui um sistema orgânico único, capaz de adaptações únicas do mesmo modo perante o exercício. É afirmar portanto que para o mesmo treino, duas pessoas podem (e devem)responder de modo similar, mas não igual.

Mas vou um pouco além disso. Não basta mirar o fim, se não sei o princípio.

A individualidade biológica parece ter ficado em segundo plano na maioria das academias. Principalmente nesse contexto atual onde “por apenas 39,90 você transpira e coloca em risco sua saúde fazendo qualquer coisa a qualquer hora“. Sabe onde você vai chegar? Em um lugar qualquer.

Se você tem realmente um objetivo ao aderir a um programa de exercícios, o princípio da individualidade é o primeiro e mais importante passo.

Na prática, a individualidade dentro do treinamento físico garante que você faça o que deve ser feito em determinado ciclo de treinos. Seu preparador físico deve te direcionar quanto a isso. Além do mais, é reconhecer que para cada estágio de treinamento existem limitações e pontos fortes que devem ser desenvolvidos em conjunto, para que a meta seja atingida.

 

5 PASSOS DENTRO DA INDIVIDUALIDADE

👮🏻 Conheça agora nossa missão. Você tem tudo a ver com ela 👊/ Missão

Veja o exemplo: aqui na Invictus nossa filosofia rege o seguinte.

Para cada aluno, um novo case possível através de uma nova análise.

Ou seja, essa primeira análise vai me dizer em que tipo de treino a pessoa vai iniciar sua progressão, e quais foram os critérios que me levaram até ali. Uma série de análises biomecânicas me dirão se de fato o aluno esta preparado para execução segura e sustentada de determinados padrões de movimento. Então, nesse cenário é importante considerar 5 passos, como abaixo:

PADRÕES FUNCIONAIS DO MOVIMENTO – através dessa análise é possível individualizar os trabalhos de aquecimento específico, devolvendo os padrões funcionais que possam me garantir sucesso nos treinamentos de força. É muito além da visão puramente fisiológica, é pensar à frente, a médio e longo prazo, garantindo sucesso rápido e sustentado para o aluno. Se você não leu sobre o assunto corre lá 👉 /função

ESTADO NEUROMUSCULAR – existem estratégias para se chegar a uma conclusão aceitável sobre em que estado de adaptação neuromuscular a pessoa se encontra. O conhecimento desse estágio permite que se trace o caminho em que o aluno vai percorrer em direção ao sucesso que ele almeja. Seja no emagrecimento, na hipertrofia ou em qualquer outro objetivo, saber dosar as cargas de treinamento depende muito desse ponto. Resumo aqui em três grandes vertentes: FORÇA, VELOCIDADE E POTÊNCIA.

Se você não sabe quem você esta treinando, tão pouco o que você esta formando 

AVALIAÇÃO DE SISTEMAS ENERGÉTICOS – saber como a pessoa se comporta e como ela responde à estímulos em diferentes intensidades por períodos de tempo. É possível portanto como estão os seguintes pontos fisiológicos:

  1. SISTEMA ATP-CP – em que estado prévio o fornecimento de energia proveniente desse sistema se faz eficaz, e qual o tempo de regeneração estimada após 10 segundos em grande intensidade 2. SISTEMA ANAERÓBIO LÁTICO – demonstra capacidade de manutenção de trabalho acima de 30-40 segundos em grande intensidade, mantendo tanto técnica como cadência 3. SISTEMA AERÓBIO – como o aluno se comporta em intensidade baixa/moderada por um período de até 3 minutos sem interrupção de trabalho, e como sua recuperação é gerada.

Quer saber mais sobre intensidade de treinamento e emagrecimento? 👉 /intensidade

SUBJEÇÃO DO ESFORÇO: a individualidade também esta no certame psicológico. Uma coisa é vermos como a pessoa esta em relação ao seu próprio cansaço. Outra coisa é sua percepção sobre isso, e se dentro de seus limites psicológicos e físicos ela consegue ou não seguir adiante com o treino do dia, sem que haja uma compensação maléfica ao organismo, podendo em casos extremos gerar desconfortos estomacais, tonturas ou desmaios.

Analise, treine, conclua. Analise de novo…

RESPOSTAS HEMODINÂMICAS E CARDÍACAS: observar e quantificar os efeitos gerados pelo exercício na pressão arterial e na frequência cardíaca, tanto no ato como principalmente no pós. Se em dois minutos após o exercício a frequência cardíaca e a pressão arterial não caírem, é hora de ligar o sinal de alerta. Os valores para Débito Cardíaco (Q), Pressão Arterial Média (PAM) e Duplo Produto (DP) nos dão uma dimensão enorme sobre essas respostas.

Agora sim! Hora de fazer acontecer. Na individualidade.

Agora faz sentido que a prescrição seja pautada plenamente em você. E que as respostas, ou seja, as adaptações ao treinamento sejam suas, dentro do seu tempo, da sua natureza. Colocar todo mundo dentro do mesmo contexto já descaracteriza o termo TREINAMENTO, já que seu primeiro princípio é o mais exclusivo de todos: individualidade.

Faz sentido quando digo que aulas circuitadas não contam como treinamento? Digo não por dizer, mas por saber, e por te fazer saber que existem regras a serem seguidas, e que tais regras exigem critérios.

Sabe aquele “funcional” em grupo? Então…é legal, é legítimo. Mas não é treinamento.

Simples assim.

Bons treinos a todos.

Ps. Aqui estão links que podem trazer ainda mais clareza ao que chamamos de individualidade dentro do treinamento físico

Dr. Dan Baker

T. Bompa

A. Carey